Com participação do Legislativo, será inaugurada Casa da Mulher Alagoana

por Comunicação/ALE publicado 07/01/2021 15h10, última modificação 07/01/2021 15h10

Será inaugurada às 11 horas desta sexta-feira, 8, a Casa da Mulher Alagoana Nise da Silveira. A iniciativa é uma parceria entre a Assembleia Legislativa, o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) e o Governo do Estado. A estrutura funcionará no prédio onde já estava situado o Juizado de Violência Doméstica de Maceió, na Praça Sinimbu, reunindo diversos órgãos da rede de proteção às mulheres. No local, as vítimas encontrarão atendimento humanizado e assistência psicossocial.
Além do Juizado com sua equipe técnica e programas, o projeto inclui a Delegacia da Mulher, Defensoria Pública, Ministério Público, Patrulha Maria da Penha e uma casa de passagem para abrigo temporário das vítimas que não puderem retornar para suas residências. Os serviços serão implementados sucessivamente, após a inauguração.
Um programa de encaminhamento das mulheres para capacitação e emprego também funcionará na estrutura, por meio de parceria entre a seccional alagoana da Ordem dos Advogados do Brasil e o Judiciário.

Histórico
O processo para a implantação da Casa da Mulher Alagoana teve início em junho 2019, quando as deputadas Ângela Garrote (PP), Flávia Cavalcante e Fátima Canuto (ambas do PRTB), integrando a comitiva composta pelo Juiz Paulo Zacarias e pelas servidoras do TJAL, Érika Lima e Juliana Pimentel, estiveram em Campo Grande (MS) para uma visita técnica à Casa da Mulher Brasileira (CMA). A viagem da comissão, foi um desdobramento das metas estabelecidas durante sessão especial no Parlamento alagoano que tratou da violência contra a mulher.

Em momento posterior, as parlamentares foram a Brasília para solicitar o apoio do Governo Federal na implementação do projeto em Maceió. Ainda na capital federal, elas participaram de uma reunião com a ministra Damares Alves, com o objetivo de acelerar a implantação da casa de apoio às mulheres vítimas de violência no Estado. A ministra se comprometeu em dar prioridade a Alagoas, depois de escutar o relato das parlamentares sobre a necessidade de mais segurança às mulheres que denunciam seu agressor.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.