Confira a íntegra do discurso do presidente Marcelo Victor na solenidade de posse da Mesa Diretora

por Comunicação/ALE publicado 01/02/2021 11h10, última modificação 01/02/2021 14h11

Ao tomar posse na manhã desta segunda-feira, 1º de fevereiro, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Victor, reafirmou uma postura de coadjuvância, de auxiliar no desenvolvimento de uma nova história pelo colegiado, manter a relação harmoniosa entre os Poderes constituídos do Estado, e destacou a importância da vacina para conter o avanço do coronavírus e para minimizar os efeitos da crise econômica gerada pela pandemia. Acompanhe, na íntegra, o discurso do chefe do Legislativo alagoano:

Exmo. Sr. Governador do Estado de Alagoas, Renan Vasconcelos Calheiros Filho, Exmo. Sr. Presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas, desembargador Klever Loureiro, Exmo. Sr. Presidente do Tribunal de Contas do Estado, Otávio Lessa, Exmo. Sr. Procurador-geral de Justiça, Márcio Roberto Tenório de Albuquerque, Exmo. Sr. Defensor Público Geral, Carlos Eduardo Monteiro, Exmo. Sr. Secretário-chefe do Gabinete Civil, Fábio Farias,

Senhores Deputados e Senhoras Deputadas:

Há exatamente dois anos, num primeiro de fevereiro como este e pela vontade soberana deste poder popular, assumi, com muita honra, a Presidência da Assembleia Legislativa do Estado de Alagoas.

A primeira sessão legislativa, da décima nona legislatura, coincidiu à época com um fato histórico: os trinta anos da promulgação da Constituição do Estado.  Decorrente da consolidação democrática do País, a nova Carta nasceu neste plenário, por deliberação dos parlamentares constituintes eleitos pelo povo alagoano.

Ao agradecer à época a manifestação de confiança de meus pares, afirmei também que pautaria minha conduta pelo sentimento de gratidão a Alagoas. Disse mais:

ao lado de meus companheiros de Mesa Diretora, exerceria a função sob permanente observância do princípio da supremacia do interesse público.

A partir dali, deixei absolutamente cristalina a decisão de adotar uma postura de coadjuvância, de elo auxiliador no desenvolvimento de uma nova história, a ser contada pelo colegiado da Casa de Tavares Bastos.

Nos anais daquela sessão solene de posse da Mesa Diretora, ficou assim consignado: “O Presidente da Assembleia deve ser coadjuvante, porque o protagonismo tem que estar no plenário, em cada um dos senhores deputados”.

Vossas Excelências são testemunhas de que esta Presidência aplicou o receituário do equilíbrio e da colaboração, no sentido de estimular as discussões amplas, pois delas afloram as melhores ideias.

Agora, iniciamos o segundo biênio desta legislatura. Reconduzido pela vontade de meus pares, é hora de reafirmar compromissos, de homenagear os princípios fundamentais contidos em nossa Constituição, com a convicção de quem deve cultivar o fortalecimento da nossa organização político-administrativa.

É praticar, na vida real, a consagrada formulação do iluminista francês, Montesquieu, que concebeu a teoria da separação dos poderes constituídos do Estado, que devem ser fortes, independentes e harmônicos entre si.

Chegou o momento de pensar daqui para frente, de colaborar nessa travessia por um novo tempo; e de focar na superação das dificuldades impostas pelo desafio da pandemia. Mais do que nunca, é tempo de união, de somar forças com o Judiciário e de ajudar o Governo do Estado a viabilizar os meios necessários à proteção da vida do nosso povo, especialmente de quem depende da mão solidária do poder público.

Aristóteles se referia ao fato de que o homem não foi criado para viver isolado. Daí ser imperativo restabelecer nosso grau de convivência humana. Focar nas vacinas e lutar por elas. Eis a travessia: abraçar a vida e acelerar a revitalização da economia e dos empregos. Precisamos somar forças e conquistar a nova normalidade, de modo a restabelecer as relações sociais, com segurança para todos.

Mais do que nunca, devemos praticar a atividade política, porque as soluções nascem na capacidade de o homem dialogar, de cooperar e erguer pontes para o desenvolvimento. Como ensinou Ulysses Guimarães, um parlamentarista convicto: “Quem não se interessa pela política, não se interessa pela vida.”

Antes de encerrar, desejo, por dever de justiça, agradecer a minha família, representada por meu pai, Gervásio Raimundo.

Aos 91 anos e com a saúde que Deus lhe abençoou, testemunha seu filho presidir a Casa na qual ele representou seu povo em várias legislaturas, desde a década de 1980.

Sou grato a todos os Senhores Deputados e Senhoras Deputadas por mais esta manifestação de confiança. Manterei minha palavra, retribuindo com diálogo e trabalho. Quero prosseguir exercendo esta Presidência sem a pompa da autoridade, mas aberto para a pluralidade. Quero, por fim, agradecer de coração aos alagoanos, da capital e do interior. Contem com o apoio e a solidariedade desta Casa, nessa luta por melhores dias e em busca da felicidade. Vamos, portanto, tocar a vida e o trabalho, porque o futuro clama por pressa.

Muito Obrigado! Está encerrada esta Sessão!

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.