Davi Maia volta a solicitar anulação do concurso da PM

por Comunicação/ALE publicado 26/10/2021 15h05, última modificação 26/10/2021 15h05

Após a desarticulação de uma quadrilha especializada em fraudar concursos públicos, o deputado Davi Maia (DEM) apelou ao Governo do Estado anulação do concurso público para a Polícia Militar de Alagoas, cujas provas foram realizadas em agosto último. A organização criminosa foi desarticulada pela Operação Loki, deflagrada pela Polícia Civil de Alagoas na semana passada, e tinha como líder um ex-PM alagoano. Ao todo foram presas 12 pessoas e cumpridos 41 mandados de busca e apreensão realizados em Pernambuco, Paraíba e Alagoas. De acordo com as investigações, os criminosos utilizavam pontos eletrônicos de alta tecnologia e professores especializados para fraudar as provas. “Vários candidatos aprovados sem as condições mínimas de constar na lista de classificados, pontuações altíssimas de pessoas sem a mínima qualificação para o cargo somente podiam ser justificadas pelas fraudes, que agora foram descobertas”, observou Davi Maia, durante a sessão plenária desta terça-feira, 26.

“Esse concurso está eivado de ilegalidade e atacado de morte por uma organização criminosa, e a segurança jurídica está prejudicando centenas de candidatos, os quais se prepararam por anos”, ressaltou o parlamentar, acrescentando que diante desse cenário de incertezas, não resta outra solução ao Governo de Alagoas, que não a anulação do concurso. “Que o Governo anuncie as datas das novas provas, milhares de candidatos honestos estão aguardando a oportunidade. Espero, dessa vez, que a banca promova a segurança necessária para que haja uma disputa no mínimo justa, evitando-se a atuação desses criminosos”, apelou Davi Maia, observando que essa não será a primeira vez que um concurso será anulado em Alagoas e lembrou que recentemente o Tribunal de Justiça de Alagoas anulou a prova de analista judiciário por problemas na segurança da prova. “O importante é a gente não permanecer no erro; o Governo de Alagoas precisa reconhecer a gravidade do problema e anular esse concurso o mais rápido possível”, cobrou o parlamentar, parabenizando a Polícia Civil pela operação que resultou na desarticulação da organização criminosa.

Cadastro reserva
Davi Maia aproveitou o momento para dizer que apresentou um projeto de lei que tem por finalidade obrigar o Governo do Alagoas a criar cadastro reserva nos concursos públicos realizados no Estado, com pelo menos o mesmo número de vagas ofertadas pelo certame. “O Governo tem mantido a prática de não criar cadastro reserva, o que faz com que diversos cargos permaneçam vagos, mesmo após o final do concurso”, justificou o parlamentar.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.