Deputados demonstraram preocupação com ação do Estado na busca de produtos hospitalares

por Comunicação/ALE publicado 24/03/2020 14h09, última modificação 24/03/2020 14h09
Deputados demonstraram preocupação com ação do Estado na busca de produtos hospitalares

Foto: Ascom Sesau

Durante a sessão deliberativa virtual da Assembleia Legislativa, os parlamentares aprovaram, por unanimidade, o requerimento da deputada Jó Pereira (MDB), que solicita ao Poder Executivo providências para garantir a todos os profissionais da área da Saúde e os servidores que trabalham nos serviços essências equipamentos de proteção individual como máscara, luvas e álcool em gel ou qualquer outro material que proporcione condições adequadas de trabalho. Durante o debate da matéria os deputados demonstraram preocupação com a forma de abordagem como o Estado agiu na busca de estoques de produtos hospitalares em estabelecimentos comerciais. O primeiro a se pronunciar foi o deputado Bruno Toledo (PROS) que reconheceu a necessidade do Estado adquirir estes produtos, mas criticou a forma como ele foi feito. “Chegaram nestas lojas, com a força policial e levaram os produtos destes comerciantes para depois ter a compensação financeira. Certamente estes lojistas seriam solidários do Governo do Estado nesta hora difícil. Minha preocupação é que isto possa abrir precedentes futuros”, disse.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Sílvio Camelo (PV), disse que o Estado vem trabalhando para suprir a falta de equipamentos para atender a população alagoana. “O que aconteceu foi uma questão legal, através de uma requisição administrativa que acontece em momentos de pandemia como estamos vivendo. O Governo não seria irresponsável de entrar numa empresa levar o materiais de extrema necessidade e não pagar por ele. O empresário que tiver essa requisição em sua empresa fique tranquilo que tudo será pago” destacou.

O deputado Cabo Bebeto (PSL) disse que ficou muito preocupado com a ação do Governo e que gostaria de saber quando estes empresários irão receber pelos produtos. “Esta ação poderia ter sido feita de uma forma mais democrática. São insumos que o Estado compra em quantidade insuficiente. O mais grave é que tem relato de clientes que já tinham feito suas compras e tiveram que sair da empresa sem levar os produtos comprados. O decreto permite que o Estado faça compras sem licitação, mas não invadir estabelecimentos e levar os produtos dos comerciantes. Minha preocupação é que amanhã o Estado invada as farmácias”, alertou.

A deputada Jó Pereira (MDB) afirmou que a medida tomada pelo Estado foi necessária, mas poderia ter sido construída de uma forma diferente. “Estive ontem na Secretaria Estadual da Saúde, com o secretário Alexandre Ayres, com quatro empresários e com representantes da Fecomércio. Na ocasião, o secretário garantiu o pagamento destes materiais aos empresários ainda esta semana. Isto vai possibilitar que os donos destes estabelecimentos comercias possam recompor seu estoque. Estes comerciantes não apenas abastecem as unidades de saúde do Estado de Alagoas, eles abastecem também o comércio local, porém, o secretário Alexandre Ayres justificou a ação e garantiu que o pagamento será feito”, afirmou.

Ainda durante a discussão do requerimento, o deputado Francisco Tenório (PMN) sugeriu, entre outras coisas, que fosse ampliada a estrutura de atendimento da saúde usando os campos de futebol e solicitou que o Governo estadual abasteça os municípios com máscaras, luvas e outros insumos no combate ao cornonavírus. “Os pequenos municípios, mesmo fazendo todo o esforço possível, não têm encontrado estes equipamentos de proteção. Várias cidades estão recebendo moradores de outras localidades diariamente e precisam que suas secretarias de saúde tenham estes equipamentos para atender suas populações”, afirmou.

O deputado Davi Maia (DEM) criticou a ação do Governo junto às empresas e defendeu que os equipamentos de proteção aos servidores da saúde sejam distribuídos para as secretarias municipais que estão com dificuldades no atendimento à população e demonstrou preocupação com as pessoas que estão chegando de outros Estados, como São Paulo, por exemplo. “É preciso que a secretaria estadual de saúde teste estas pessoas que estão chegando a Alagoas. O interior precisa ser abastecido com estes insumos”, destacou.

O deputado Antonio Albuquerque (PRTB) alertou que no decreto de necessidade do Estado pode ter a requisição de mercadorias, mas que não precisava ser daquela forma. “Tive a informação que pessoas foram ameaçadas de prisão. Foi uma ação de pirotecnia. Não havia necessidade daquilo e neste sentido me solidarizo com os empresários. Por outro lado, sugiro que o Governo do Estado leve estes insumos aos municípios alagoanos”, disse.

O deputado Yvan Beltrão (PSD) disse que neste momento de pandemia o Governo agiu correto, em relação a ação junto aos empresários . “O Governo agiu com o objetivo de defender o povo alagoano. Espero que agora ele pague aos fornecedores pelos equipamentos levados. Quero aproveitar para alertar que os nossos municípios estão necessitando urgentemente de equipamentos de proteção para os servidores da saúde. Espero que o Estado possa fazer essa distribuição o mais rápido possível”, afirmou.

Por fim, o deputado Marcelo Beltrão (MDB) mostrou-se preocupado com a questão da falta de equipamentos de proteção para os funcionários da saúde e com o abastecimento de alimentos, já que as feriras livres nos municípios do interior estão sendo proibidas. “Precisamos discutir com a secretaria de Agricultura este assunto e encontrar uma saída”, disse.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.