Deputados prestam homenagem e reverenciam a memória de Divaldo Suruagy

por Comunicação/ALE publicado 24/03/2015 22h00, última modificação 22/04/2015 19h23

Durante a sessão ordinária desta terça-feira, 24, o plenário da Assembleia Legislativa prestou homenagens e reverenciou a memória do ex-governador Divaldo Suruagy, 78 anos, que faleceu no último dia 21, em decorrência de um câncer. Durante a sessão, por solicitação do deputado Gilvan Barros Filho (PSDB), os 23 deputados presentes ao plenário aprovaram requerimento de Voto de Pesar a ser encaminhado à família enlutada. 

O primeiro a se pronunciar sobre a morte de Suruagy foi o deputado Antonio Albuquerque (PRTB), que o classificou como um dos maiores homens públicos que Alagoas já teve. Albuquerque falou sobre a trajetória política de Suruagy no Estado. “Tive oportunidade de vivenciar não apenas a grandiosidade, o sentimento de humildade e humanidade, mas a têmpera de que dispunha o alagoano Divaldo Suruagy; um homem de uma carreira pública extraordinária”, declarou Antonio  Albuquerque.
 
O parlamentar lembrou que Suruagy foi prefeito de Maceió (1965 a 1970), deputado estadual (1971 a 1973), deputado federal (1979 a 1983) e governou o Estado por três mandatos, nos períodos de 1975/1978, 1982/1986 e de 1995/1997, e foi senador da República de 1990/1995. “Divaldo Suruagy deixa para todos nós um legado extraordinário. Não apenas pelas incontáveis obras que construiu em todo território alagoano, no exercício de seus mandatos, mas também por sua generosidade e pelo espírito público”, disse Albuquerque, destacando a iniciativa da presidência da Casa em decretar luto oficial por três dias e suspender as atividades do Poder nesta segunda-feira, 23.
 
Em aparte, o deputado Sérgio Toledo se associou ao pronunciamento de Albuquerque, ressaltando que o falecimento de Divaldo Suruagy foi uma grande perda para Alagoas. “O que ele trouxe de bom e o que fez como político para o Estado supera qualquer deslize que tenha acontecido”, ressaltou Toledo.
 
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luiz Dantas (PMDB), também se solidarizou ao pronunciamento de Albuquerque.  “Essa é uma bela homenagem a Divaldo Suruagy, como líder, como pessoa, como pai de família e como homem de bem que foi ao longo de sua história. Farei chegar às mãos de seus familiares o pronunciamento de V.Exª, deputado Antonio Albuquerque “, garantiu Dantas.
 
Outro que se pronunciou sobre o falecimento do ex-governador foi o deputado Galba Novaes (PRB). Da tribuna da Casa, Novaes destacou o lado chefe de família de Divaldo Suruagy. “Estive com ele no último dia 15, data de seu aniversário. Lá sua esposa Luzia Suruagy fez uma retrospectiva da vida familiar dele, um exemplo de pai, de filho, de irmão, de marido e de amigo”, disse Novaes, lembrando que seu pai, Galba Novais de Castro, foi iniciado na política através de Divaldo Suruagy.
 
Em aparte, o deputado Inácio Loiola (PSB) lembrou que em 1978, quando Suruagy foi eleito deputado estadual, obteve 75% dos votos, representando uma das maiores votações de Alagoas. “Ele recebeu 102 mil votos. Com sua votação, conseguiu eleger também o saudoso jornalista Albérico Cordeiro a deputado federal, que era um desconhecido”, lembrou. “Alagoas perdeu um grande homem público”, completou Loiola.
 
Ainda em aparte, o deputado Francisco Tenório (PMN) se associou aos demais colegas e definiu Suruagy como um político afável, educado e que sabia tratar com presteza os seus adversários. “Admirava a postura política, a forma como Suruagy tratava seus adversários, de forma que até os adversários radicais, opositores ideológicos da época, não tinham como trata-lo de maneira diferente”, disse Tenório, acrescentando que Suruagy foi um homem a quem ele aprendeu a respeitar e a admirar.
 
Da tribuna da Casa, o deputado Tarcizo Freire (PSD) também externou seu pesar pelo falecimento do ex-governador. Tarcizo contou que apesar de não ter proximidade com Divaldo Suruagy sempre foi seu eleitor. “Alagoas perdeu um grande político. Quero deixar registrado que ele era um homem decente, probo, de conduta ilibada, um grande gestor”, declarou.
error while rendering plone.comments