Jó Pereira cobra elaboração do Plano de Enfrentamento à Pobreza

por Comunicação/ALE publicado 14/05/2019 18h25, última modificação 14/05/2019 23h58

Da tribuna do Parlamento, a deputada Jó Pereira (MDB) cobrou a criação do Plano de Enfrentamento à Pobreza, previsto na lei que regulamentou o Fundo de Combate e Erradicação à Pobreza (Fecoep), criado em 2005. “São quase duas décadas de ausência, onde a pobreza extrema permanece fazendo vítimas. Nós devemos combater esse histórico uso de lenço fazendo as vezes do lençol”, declarou a parlamentar, durante a plenária desta terça-feira, 14, destacando que o Fecoep recolhe parte dos recursos do contribuinte para tirar alagoanos da extrema pobreza.

De acordo com Jó Pereira, os recursos do Fecoep vêm sendo utilizados para fins diversos, menos para o qual foi criado, ou seja, a erradicação da pobreza. “Idealizado principalmente para sinalizar o novo caminho do resgate social, passa esse lenço (Fecoep), lamentavelmente, há décadas, a ser usado como lençol, como fonte do tudo faz e nada combate efetivamente”, criticou Jó Pereira, usando de metáforas para expressar sua crítica.“Precisamos de um Fecoep com foco direto e identificado, inclusive como complemento de recursos e ações de todas as áreas do governo”, reforçou.

Jó Pereira, que integra o conselho do Fecoep, juntamente com o deputado Galba Novaes (MDB), contou que na última sexta-feira, 10, não pode participar da reunião do Conselho por ter ido a Fortaleza/CE, a convite da Unicef, participando de evento com programas e ações voltadas para adolescentes vulneráveis.

Braskem
Durante o pronunciamento, Jó Pereira também se posicionou sobre a situação do bairro Pinheiro. Ela cobrou do Governo Federal que reconheça o estado de calamidade pública decretado pelo prefeito de Maceió, Rui Palmeira, para que a União assuma o comando das operações e das ações necessárias para as pessoas dos bairros afetados. A Braskem foi apontada, no laudo emitido pela CPRM, como a principal responsável pela instabilidade no solo na região do bairro Pinheiro e adjacências. De acordo com a parlamentar, é necessário que a empresa tenha responsabilidade com o Estado de Alagoas.

Em aparte, os deputados Davi Maia (DEM), Davi Davino Filho (PP) e Francisco Tenório (PMN) se associaram ao pronunciamento de Jó Pereira. O deputado Davi Davino disse que o anúncio de fechamento da Braskem, aqui no Estado, deve ser discutido de forma célere pelo Parlamento. “Acho uma atitude muito infantil a Braskem anunciar o fechamento aqui em Alagoas, após ter sido responsabilizada pelos problemas nos bairros Pinheiro, Mutange e Bebedouro”, observou o parlamentar. Tenório foi mais além e disse que o anúncio de fechamento da empresa no Estado é uma chantagem. “A Braskem pode deixar o Estado, mas não pode deixar de ter responsabilidade com os danos causados no Estado. Isso nós vamos cobrar”, afirmou o parlamentar, sem deixar de reconhecer a importância da Braskem para a economia alagoana.

error while rendering plone.comments