Jó Pereira denuncia retrocesso no combate à desigualdade política entre homens e mulheres

por Comunicação/ALE publicado 14/03/2019 19h10, última modificação 14/03/2019 19h30

O projeto de lei 1256/2019, de autoria do senador Angelo Coronel (PSD-BA), que visa extinguir a cota mínima de 30% de candidaturas de mulheres nas eleições para cargos políticos, foi tema do pronunciamento da deputada Jó Pereira (MDB). A parlamentar avalia que o projeto é um retrocesso no combate à desigualdade na política e com relação à luta democrática das mulheres por ocupação de mais cadeiras nos parlamentos. Diante disso, Jó Pereira solicitou à presidência da Casa que encaminhe ao Senado Federal uma moção de repúdio à matéria.

“Nós mulheres precisamos reagir a essa matéria com a mesma intensidade com que lutamos para estabelecer cotas máximas e mínimas de participação para ambos os gêneros, conquista recente, em 2009”, disse indignada. “Nossa luta, nossa meta é o equilíbrio, para um Parlamento plural, que permita um debate com o olhar de ambos os gêneros”, reforçou Jó Pereira.

Ela observou que na justificativa do PL, o próprio autor da matéria reconhece a necessidade de ampliar a participação das mulheres na política e a importância da lei que pretende revogar, e citou um dos trechos: “A iniciativa tem méritos: busca impulsionar a participação feminina na política, que, por razões diversas, ainda não se compara, em termos numéricos, à participação dos homens”. Segundo Jó, no último parágrafo da justificativa o autor diz ainda que o projeto dele 'presta uma homenagem à igualdade'. “É no mínimo hilário, pra não dizer deboche, com a situação das mulheres na política e na vida”, comentou a parlamentar.

Em apartes, os deputados Davi Maia (DEM), Marcelo Beltrão (MDB) e as deputadas Cibele Moura (PSDB), Ângela Garrote (PP) e Flávia Cavalcante (PRTB), se associaram ao pronunciamento de Jó Pereira e se colocaram à disposição para subscrever a moção de repúdio à proposta do senador baiano. Maia rechaçou o projeto de lei e disse ser favorável à igualdade de gênero, não apenas na política, mas em todos os setores da sociedade. Cibele Moura destacou a importância do tema e lembrou que, passados 85 anos da eleição da primeira deputada alagoana, Lily Lages, essa é a primeira vez que a bancada feminina conta com cinco integrantes.

error while rendering plone.comments