Na sua volta ao Parlamento, Ronaldo Medeiros faz duras críticas ao Governo Federal

por Comunicação/ALE publicado 23/02/2021 12h35, última modificação 23/02/2021 12h58

Em seu primeiro discurso na volta ao Paramento, o deputado Ronaldo Medeiros (MDB) fez duras críticas às políticas implantadas pelo Governo Federal, e disse que o país vive atualmente um momento difícil, tanto no que diz respeito à pandemia e a falta de uma política de vacinação, quanto na forma do presidente Jair Bolsonaro gerir a economia. Da tribuna da Casa, nesta terça-feira, 23, o deputado afirmou que a imagem do Brasil no mundo é bastante ruim por ter um presidente que não cuida de seu povo e ignora a Ciência.

“Este presidente não consegue liderar e é responsável por diversas mortes, por não agir buscando vacinas de forma preventiva, pelo contrário, desdenhou da Ciência. Este presidente, que enganou o povo, defende a ditadura militar, não preza pela democracia e, por si só, cria crises e faz sua própria oposição. Esse é o Brasil que estamos vivendo neste momento: um país de cabeça baixa e que não tem moral internacionalmente para conseguir vacinas”, declarou Ronaldo Medeiros.

Ainda em seu pronunciamento, o deputado afirmou que Bolsonaro tem uma péssima política diplomática, pois se desentendeu com os Estados Unidos ao defender a reeleição de Donald Trump e também criou atritos com a China. “O pior que não é só o presidente da Republica que faz isso. Seus filhos, através de suas redes sociais, também fazem. São brigas que geram consequências em tudo que estamos vivendo atualmente, tanto para a população, quanto para algumas empresas que estão sendo boicotadas na sua produção para a exportação”, disse.

Ronaldo Medeiros disse ainda que o Brasil tem atualmente um dos maiores índices de desemprego. “São mais de 14 milhões de brasileiros desempregados. Fez uma reforma trabalhista atacando o pequeno que, cada vez mais, vai ficando sem direitos. Hoje para se aposentar no país é preciso ter 65 anos de idade. Quero ver quem vai empregar alguém com esta idade no setor privado. A Previdência Social hoje obriga o atendimento virtual. Como isso pode acontecer num Estado como o nosso, onde existem 25% de analfabeto?”, contestou.

Por fim, o deputado lamentou que o Brasil esteja próximo das 250 mil mortes pela Covid-19, batendo semanalmente recordes negativos. “No Amazonas e no Acre, por exemplo, o povo vem morrendo e o presidente não tem a dignidade de socorrer aquela população. Ele não faz nada porque acha tudo isso natural. Ao invés de ajudar, fica falando que é natural morrer”, concluiu, lamentando que os recursos destinados para a área da Educação sejam inferiores aos destinados às Forças Armadas.

Em aparte, os deputados Cabo Bebeto (PTC) e Antonio Albuquerque (PTB) discordaram do pronunciamento do colega deputado e reafirmaram os avanços na política do Governo Federal. Na ocasião, o deputado Albuquerque ainda fez duras críticas à política implantada pelos governos de esquerda, quando estiveram no poder, e também rechaçou a decisão da Câmara Federal em manter preso o deputado federal pelo Rio de Janeiro, Daniel Silveira.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.