Pastor João Luiz cobra informações sobre as obras na Maternidade Santa Mônica

por Comunicação/ALE publicado 05/03/2015 20h15, última modificação 22/04/2015 18h03

Em seu primeiro pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Pastor João Luiz (DEM) fez um relato de sua vida política, falou de questões relativas à Maternidade Santa Mônica, solicitou a ampliação de bases do Corpo de Bombeiros e denunciou a morte de animais no bairro da Serraria, em Maceió. 

No início de sua fala, o deputado destacou sua chegada a Maceió e sua trajetória política no Estado. “Iniciei minha vida política com um jovem, que se tornou governador de Santa Catarina, Esperidião Amin e vim para Maceió há 27 anos. Hoje sou presidente da Igreja Evangélica Quadrangular e fui eleito seis vezes vereador por Maceió”, disse João Luiz.
 
Em relação a Maternidade Santa Mônica, o deputado disse que vai apresentar um requerimento solicitando explicações ao Estado sobre a execução da obra e o quanto foi gasto. “A empresa fez uma obra que inaugurou quando caiu com a primeira chuva”, disse. 
 
Ainda durante o seu pronunciamento, João Luiz solicitou a criação de uma base do Corpo de Bombeiros no bairro do Benedito Bentes. O deputado relatou que durante o último incêndio ocorrido no bairro, a demora na chegada dos bombeiros provocou a destruição de uma empresa. "Pior, quando os bombeiros chegaram não havia água nem hidrantes”, afirmou.
 
Por fim, o deputado falou da morte de animais na capital. “Infelizmente, em Maceió muitas coisas ruins viram moda. Hoje a moda é matar animais. Tivemos um caso no bairro do Village, outro, ainda não explicado, no Neafa e agora foram encontrados nove cachorros mortos no conjunto José Tenório, no bairro da Serraria”, disse o deputado, cobrando a elucidação dos crime.
 
Em aparte, os deputados Dudu Hollanda (PSD), Sérgio Toledo (PDT) e Jó Pereira (DEM) se solidarizaram com o pronunciamento do parlamentar.
error while rendering plone.comments